<$BlogRSDUrl$>

Thursday, March 10, 2005

NOTÍCIAS - Detalhe

Bambu para toda obra : 29/04/2004

Folha publica reportagem sobre moradia
projetada e erguida pelo Instituto do Bambu




Em 25 de Abril, a Folha Construção publicou uma "Free-Lance" sobre a casa construída com Bambu. Leia abaixo a reportagem de Bruna Martins Fontes:

Bambu para toda obra

Popular na Ásia, o bambu está à mostra há milênios em telhados, templos e pontes. No Brasil, é por trás das paredes que a gramínea revela seus segredos, como a resistência e o conforto térmico. Ainda tímida nas pranchetas dos arquitetos, é pela mão dos engenheiros que ela entra na obra.

Um grupo da Universidade Federal de Alagoas uniu-se ao Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) para erguer dois protótipos em que o bambu está em pilares, paredes e na estrutura do telhado.

Na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), ele substitui o aço em pilares e vigas e toma o lugar da brita no concreto.

"As pessoas perguntam se, como pilar, viga ou telhado, ele agüenta", conta a arquiteta Celinna Llerena, da Ebiobambu (Escola de Bioarquitetura e Centro de Pesquisa e Tecnologia Experimental em Bambu). Para especialistas, sim. O bambu resiste à tração (alongamento) como o aço, mas não tem o mesmo desempenho para suportar peso.

Mesmo assim, pode ser usado na estrutura. O engenheiro Edson de Mello Sartori, 43, consultor do Instituto do Bambu, fez paredes, pilares e vigas com a planta. O custo da obra foi 40% menor do que se fosse feita em alvenaria.

Mas o uso da planta exige cuidados, como tratá-la com biocidas. "O amido do bambu reage com o cimento, que não endurece", aponta Armando Lopes Moreno Junior, 39, professor da Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp.

Método construtivo artesanal e falta de industrialização dificultam o uso

Apesar de bastante elogiado por sua performance como estrutura, o bambu ainda freqüenta muito pouco os canteiros. Na opinião de especialistas no material, essa ausência pode ser explicada porque a gramínea está fora do circuito industrializado.
"Não há uma cadeia organizada de plantio e de distribuição", pontua Armando Lopes Moreno Junior, professor da Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp.

Quem já levantou casas com o material concorda. "O sistema construtivo é muito artesanal", comenta Alejandro Luiz Pereira da Silva, diretor-presidente do Instituto do Bambu, que fez um protótipo de 40 m2 em Maceió.

Para racionalizar o processo, uma segunda experiência do grupo alagoano conta com pilares, vigas e painéis pré-moldados em uma casa de 22 m2 que deve ser inaugurada no próximo dia 13.

Essas estruturas têm "esqueleto" de bambu preenchido com o que eles batizaram de "microconcreto", material que, em vez de brita, leva borracha reciclada e bambu picado.

"Estamos testando um sistema construtivo em moldes industriais para viabilizar a construção em maior escala", explica Edson de Mello Sartori, consultor técnico do Instituto do Bambu.

Estrutura

Para os mais conservadores, o bambu pode começar a entrar em campo no lugar da madeira."As fôrmas podem ser substituídas por tábuas de bambu, conhecidas como 'esterillas' ", sugere a arquiteta Celinna Llerena, da Ebiobambu (Escola de Bioarquitetura e Centro de Pesquisa e Tecnologia Experimental em Bambu).
Para fazer as tábuas, abre-se o bambu como se fosse uma esteira, que é colocada para secar. Pontaletes (peças de escoramento) de lajes, canais de irrigação e contenções de encostas são outros usos que Llerena indica.

Khosrow Ghavami, professor do Departamento de Engenharia Civil da PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro), complementa que também é possível estruturar lajes.

Como nos painéis, várias esteiras de bambu recebem varas da planta na transversal e são recheadas com o concreto. "É um material muito versátil", comenta Ghavami, que já elaborou até colunas cilíndricas com a planta.

Para fazer um bom uso, entretanto, é preciso ser criterioso na escolha do bambu. "Para cada espécie há uma finalidade determinada, devido às características de tamanho, grossura e espessura de parede", comenta Llerena. Segundo a arquiteta, os bambus atingem a altura máxima aos seis meses e estão maduros depois de três anos


3/10/2005 12:04:00 PM :: ::
3 Comments:
  • Very cool design! Useful information. Go on! »

    By Anonymous Anonymous, at 7:03 AM  
  • Looking for information and found it at this great site... »

    By Anonymous Anonymous, at 10:29 AM  
  • You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it film editing schools

    By Anonymous Anonymous, at 6:42 PM  
Post a Comment
<< Home

João :: permalink